4 dicas de otimização de imagens para o seu site

4 dicas de otimização de imagens para o seu site

4 dicas de otimização de imagens para o seu site

Atualizado em 12 de jan de 2018

No processo de construção de conteúdo digital para sua empresa, são vários os aspectos que devem ser levados em conta. A otimização de imagens, por exemplo, é um dos elementos mais importantes para que seu posicionamento em rankings de busca seja relevante. Mas não só para isso: imagens otimizadas e reduzidas podem também auxiliar na redução do tempo para carregar o seu site, e, consequentemente, fazer com que os usuários passem ainda mais tempo surfando pelo seu conteúdo.

Segundo a Freely Net, a pesquisa em mecanismos de busca é fonte de tráfego #1 para sites de conteúdo, vencendo as redes sociais por mais de 300%. Nada melhor do que otimizar esse meio de comunicação o máximo que você puder!

Confira as 4 dicas de otimização de imagens para o seu site:

#1 Nomeie suas imagens descritivamente e em português simples

Uma das coisas mais importantes na hora de otimizar a imagem é o título dado a ela. E quando se fala em SEO, a palavra-chave sempre vem de bônus na conversa: em quase tudo ela deve estar presente. No nome da imagem, ela é mais do que bem-vinda – é necessária para que o sistema de buscas possa referenciar sua imagem quando for feita uma pesquisa sobre o termo que você escolheu.

Um nome adequado pra um arquivo sobre Otimização de Imagens, por exemplo, seria: Otimizacao-de-Imagens.jpg.

Um bom hábito no processo de escolha da palavra-chave é a observação dos dados analíticos do seu site, com intuito de conferir quais padrões de frases seus clientes utilizam nas buscas. Determine os mais comuns e aplique a fórmula aos nomes de suas imagens!

#2 Otimize suas alt tags com inteligência

As alt tags são uma alternativa de texto às imagens sempre que um navegador não consegue renderizá-las de modo eficiente. Mas, mesmo quando uma imagem consegue ser exibida, se seu cursor passar sobre ela, o texto da alt tag da imagem poderá ser visualizado.

Além disso, o atributo alt tem papel vital no SEO do seu site. Ao incluir alt tags apropriadas às imagens, sua classificação nos motores de busca melhoram significativamente. Através do recurso de associação de palavras-chave com imagens, o uso de alt tags acaba sendo a melhor forma de fazer com que seus produtos sejam exibidos tanto nas buscas tradicionais quanto nas pesquisas de imagens do Google. 

#3 Redimensione suas imagens para reduzir o tamanho do arquivo

Você sabia que o Google utiliza o tempo de carregamento de página como um dos fatores em seu algoritmo de classificação? A Amazon descobriu ainda que, caso o carregamento de página demore 1 segundo a mais, a empresa pode perder até US$ 1,6 bilhão por ano. Sim, tenha medo: se suas imagens não estiverem redimensionadas, elas podem ser o principal fator a complicar o carregamento de sua página.

Para solucionar isso, você pode reduzir o tamanho dos arquivos já no programa de edição que está utilizando, como o Photoshop. Lá, existe a opção de “Salvar para a Web”, na qual você pode ajustar o tamanho da imagem para a menor aceitável – sempre prestando atenção à qualidade da imagem. Normalmente, o tamanho de aproximadamente 70kb é o tamanho ideal. E se você não usa o Photoshop, há outros programas que disponibilizam ferramentas semelhantes: PicMonkey, Pixlr, FotoFlexer e GIMP, por exemplo.

#4 Saiba qual tipo de imagem utilizar em cada situação

Existem três tipos comuns de arquivos utilizados para publicar imagens: JPEG, PNG e GIF.

As imagens JPEG são um tipo de arquivo que se tornou o “tipo padrão” de imagem da internet – talvez por ser bem antigo. Esse arquivo pode ser comprimido consideravelmente, o que pode resultar em imagens de qualidade com tamanho pequeno. É ideal para fotografias com bastante detalhes que precisam ser reduzidas.

As imagens GIF são imagens de menor qualidade em relação aos JPEGs, utilizadas para imagens mais simples, como imagens decorativas e ícones, além de animações.

As imagens PNG estão ganhando popularidade como uma alternativa aos GIFs, já que suportam muito mais cores – e também não perdem qualidade com novos salvamentos ao longo do tempo, como ocorre com os JPEGs. O ponto negativo é seu tamanho, que pode ser muito maior do que os outros arquivos. É um arquivo ideal para imagens complexas e que precisam da melhor qualidade possível, como logos.

Colocando em prática essas dicas, você já pode traçar o caminho da otimização de imagens de um jeito muito mais eficiente para a velocidade do seu site. Aproveite! 😉